domingo, 27 de fevereiro de 2011

ANALOGIA DO MITO DA CAVERNA NA PÓS-MODERNIDADE

ANALOGIA DO MITO DA CAVERNA NA PÓS-MODERNIDADE

Murah Rannier Peixoto Vaz

Introdução

O texto que aqui vem ser apresentado é uma crítica a atual sociedade, de uma forma sátira e um humor ácido. Abordando no decorrer de seu desenvolvimento a alienação presente na mídia em geral, mas aqui, destacando rádio, tv e internet.

Trata também do comodismo e da aceitação do que é imposto por esta mídia, mostrando por outro lado o Ser por excelência, apresentado por Sócrates, e o seu transcender a caverna, colocado no texto como uma analogia à mídia, e a necessidade de também todos atingirem a transcendência desta caverna, que acorrenta, aliena e aprisiona. A analogia à caverna e o transcender à ela são cernes de todo o texto.

OH CAVERNA TÃO MALDITA E AO MESMO TÃO QUERIDA, AFASTAR-NOS DE TI É RAZÃO DE NOSSAS VIDAS...

Hoje, no tempo em que vivemos a chamada era da Pós-modernidade, encontramos grandes avanços tecnológicos e culturais, ao mesmo tempo, porém, existe um grande avanço da máquina “alienizante”. Máquina esta que encaminha pessoas para temporadas nos “Spars de lavagem cerebral”.

Já não é mais uma só a caverna, como era na época de Sócrates (Platão), hoje existem dezenas, quiçá centenas de cavernas, para todos os gostos e vontades de “alienizar-se” que o freguês possa ter.

Para início de conversa, podemos citar a “caverna digital” que através de uma falsa pretensão de aproximar as pessoas, as afasta cada vez mais. Fazendo que cada um viva em seu “mundinho” próprio; um mundo virtual onde já não se encontra mais as pessoas cara a cara, olho no olho, pessoalmente, fazendo com que haja contato e interação. O mais próximo disto será visualizar a pessoa estática, digitando, ou mesmo acenando por uma webcam, e apertando continuamente as teclas de um teclado a fim de digitar algo que será enviado através de um click do mouse.

O virtualismo passa-nos notícias da China, Cuba, E.U.A , imediatamente, após ocorrerem, é um mundo muito organizado e de grande inteligência. Sabe como ninguém impor e fazer com que aceitemos livremente o que põe diante de nós. Com isso nossos olhos e ouvidos assimilam tudo, é como se fizéssemos um download literal de roupas, calçados e músicas com que nos bombardeiam.

Mas o que a mídia não faz, não é?!?!?

A história desta caverna é antiga e vem evoluindo no atravessar dos anos; Tudo começou com seu Bisavô, o Rádio, e com sua Avó, a Tv Preto e Branco, chegando a sua mãe TV a Cores, hoje uma coroa que ainda faz muito sucesso e detém grande difusão, sendo conhecida por todos e quando se busca e se pensa uma forma de alienação, ainda se recorre a ela em primeiro lugar, pois suas fórmulas “alienizantes” ainda são as preferidas de uma grande massa coletiva da sociedade.

Seu filho Computador vem sendo cada vez mais procurado. Sendo já, uma opção quase á altura e acesso como a mãe. Hoje pensa-se em uma conjugação do trabalho, mãe e filho em conjunto, trabalhando a todo vapor em suas árduas funções de aumentar a alienação, massificando, coletivizando e “coisificando” o povo.